iA



Cidadania

Desembargador do Tocantins que vendia sentenças é aposentado compulsoriamente pelo Conselho Nacional de Justiça

por admin. Tempo de leitura: cerca de 1 minuto.

Desembargador Carlos Luiz de Souza flagrado recebendo dinheiro de sentenças

 

O desembargador do Tribunal de Justiça do Estado de Tocantins Carlos Luiz de Souza recebeu vantagem financeira em troca de decisões proferidas em cinco processos que ele julgou. Um deles é o julgamento de uma disputa pela direção do Instituto de Ensino Superior de Porto Nacional S.A. (IESPEN) em que, segundo inquérito da Polícia Federal, o magistrado teria recebido R$ 50 mil por uma decisão favorável em 2007. Em uma filmagem da Polícia Federal, um advogado aparece levando uma mala preta à casa do desembargador. Durante busca na residência e no escritório do mesmo advogado, os agentes da PF encontraram dois arquivos chamados “VotoIESPEN.doc” e VotoIESPENdefinitivo.doc” que contém praticamente o mesmo texto da sentença dada pelo desembargador. Segundo os investigadores, das 146 linhas escritas no arquivo, 131 linhas foram usadas no voto do desembargador. Os outros quatro casos em que o conselheiro José Guilherme Vasi Werner encontrou conduta irregular do magistrado se referem ao de pagamento de precatórios, nos quais ele proferiu sentenças que alteraram a ordem do pagamento das dívidas estatais em favor de pessoas que o remuneraram pelas decisões.

37670
Classifique a matéria
Thanks!
An error occurred!

Notícias relacionadas:

  1. Conselho Nacional de Justiça confirma afastamento de desembargador do Tribunal de Justiça do Tocantins
  2. Juiz do Maranhão acusado de beneficiar interessado em ações milionárias é aposentado compulsoriamente pelo CNJ
  3. Senado aprova desembargador baiano para o Conselho Nacional de Justiça
  4. CNJ aposenta compulsoriamente ministro do STJ e desembargador do TRF 2 que vendiam sentenças
  5. Conselho Nacional de Justiça processa Desembargador e Juiz envolvidos em irregularidades no pagamento de precatórios judiciais