iA



Infraestrutura

Axxo, Queiroz Galvão, TTC Engenharia e Constran ganham licitação do Corredor Transversal I no valor de R$ 647 milhões e a OAS o do Corredor Transversal II, com R$581 milhões

por admin. Tempo de leitura: cerca de 1 minuto.

Os Corredores Transversais são as primeiras ligações diretas e de alta capacidade entre zonas da cidade que sempre viveram separadas – a Suburbana, o Miolo e a Orla – e a expectativa é de que as obras sejam concluídas num prazo de 36 meses, somando-se o período de elaboração e finalização dos projetos.

A Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Conder) homologou o resultado do processo licitatório para a implantação dos Corredores Transversais que alimentarão o metrô de Salvador e darão fluidez ao trânsito da cidade, explica o coordenador das obras de mobilidade urbana em Salvador, secretário estadual da Casa Civil, Rui Costa.

Com a proposta de menor preço, no valor de R$ 647 milhões, o consórcio Transoceânico Salvador, composto pelas empresas Axxo, Queiroz Galvão, TTC Engenharia e Constran, venceu a licitação do Corredor Transversal I, que compreende a integração da Avenida Pinto de Aguiar à Gal Costa, através de túnel, e se estende aos bairros da Capelinha e de Pirajá para desembocar no Lobato, na Avenida Suburbana, com 12 km de extensão, 3 vias por sentido, viadutos, túneis, paisagismo e iluminação pública.

Também pelo critério de menor preço, R$581 milhões, a construtora OAS executará a obra do Corredor Transversal II, que começa na BR-324, no bairro de Águas Claras, a partir da implantação da Avenida 29 de Março, passando pelo Bairro da Paz, na Avenida Paralela, e se estendendo até a Orla, através da duplicação da Avenida Orlando Gomes, com mais de 12 km, 3 faixas por sentido, ciclovia, paisagismo, iluminação, viadutos e ponte.